Skip to content
Please check an answer for every question.
Cookie settings

Total may deposit the following categories of cookies: Cookies for statistics, targeted advertising and social networks. You have the possibility to disable these cookies, these settings will only be valid on the browser you are currently using.

Enabling this cookie category allows you to establish statistics of traffic on the site. Disabling them prevents us from monitoring and improving the quality of our services.
Our website may contain sharing buttons to social networks that allow you to share our content on these social networks. When you use these sharing buttons, a link is made to the servers of these social networks and a third-party cookie is installed after obtaining your consent.
Enabling this cookie category would allow our partners to display more relevant ads based on your browsing and customer profile. This choice has no impact on the volume of advertising.

Foi realizada uma avaliação de impacto ambiental (AIA) para os projectos Mozambique LNG e Mozambique Rovuma Venture (MRV) para as instalações e infraestrutura de GNL onshore e offshore associadas a ambos os projectos. A AIA conjunta avaliou os possíveis impactos ambientais, sociais e à saúde dos projectos.

O relatório da AIA foi aprovado pelo Ministério da Coordenação de Assuntos Ambientais (MICOA) em Junho de 2014. Após a AIA, realizamos proactivamente várias avaliações ambientais adicionais para apoiar o nosso projecto, incluindo:

  • Uma avaliação de impacto ambiental associada à construção e operações da Vila de Reassentamento (Adenda da AIA à Vila de Reassentamento).
  • Vários Planos de Gestão Ambiental (PGAs) considerando as mudanças no projecto e impactos associados desde a conclusão da AIA do GNL.
  • Avaliações ambientais específicas - com foco nas estruturas relacionadas ao projecto, localizadas fora da área do projecto (por exemplo, linha de energia de 33kV, Estrada Palma-Afungi).

O Ministério da Terra, Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural (MITADER), actualmenteconhecido como Ministério da Terra e Meio Ambiente, MTA, emitiu as licenças ambientais do projecto em 2018, após a aprovação do Plano de Reassentamento.

LEIA SOBRE AS NOSSAS OUTRAS ÁREAS DE FOCO AMBIENTAL