Skip to content

Formados do Programa Jovem do Catalisa destacam-se como empreendedores locais

A geração de receita e diversificação económica é uma das três categorias focais na Estratégia de Investimento Social da TEPMA1. O programa Catalisa, dirigido pelo parceiro de implementação do sector privado, a TechnoServe, é uma das principais iniciativas desta categoria focal. O foco do programa é investir no agro-negócio e no desenvolvimento da juventude. 

A componente do agronegócio do programa visa apoiar a fazer face à demanda de uma economia em crescimento, bem como as oportunidades existentes proporcionadas pela cadeia de valor do Projecto Mozambique LNG para ajudar a fornecer bens e serviços na região.

A componente de formação de jovens do programa Catalisa centra-se na preparação dos jovens do Distrito de Palma para fazerem parte de uma força de trabalho diversificada ou a tornarem-se empreendedores. As actividades das empresas em fase inicial de dois participantes são descritas abaixo.

Folai Martens Andeni – Tornou-se peixeiro

Folai Martins Andeni, a 21 year old Palma native , graduated from the 4th cycle of the Catalisa Youth Program

Folai Martins Andeni, natural de Palma, de 21 anos, formou-se no 4º ciclo do Programa Jovem do Catalisa.

 

Depois de concluir o Programa Jovem do Catalisa, Folai Martins Andeni decidiu inscrever-se no Programa Aftercare. Pouco depois de participar dos primeiros workshops, Folai e o seu amigo e ex-colega Ija Fernando tiveram a ideia de criar uma peixaria.

O conceito do projecto foi apresentado e defendido durante uma sessão de um workshop subsequente com foco em ideias de negócios, e Folai e Ija decidiram inscrever a ideia do negócio para o 4° ciclo do concurso de plano de negócios.

Como resultado da nova estratégia do concurso de plano de negócios, que procura combinar teoria e prática, Folai e o seu parceiro de negócios Ija, como todos os outros concorrentes, receberam uma bolsa de US $ 300 para testar a sua ideia de negócio.

“A peixaria está a funcionar muito bem. Arrecadamos entre 1.000 a 1.250 meticais por dia em receitas de vendas. O nosso desafio é sermos inovadores no serviço que oferecemos aos nossos clientes e diversificarmos aos poucos os nossos produtos”. Folai acrescentou: “Mesmo que não ganhe nenhum prémio neste concurso, já me sinto um empresário! Estou a aprender muito com este negócio. Obrigado Catalisa pela oportunidade”.

Folai e Ija vendem várias variedades de peixes, desde: peixe pedra, safi, carapau, etc. que compram localmente, de pescadores da Baía de Palma. Eles oferecem-se para processar e limpar o peixe aos clientes interessados, por uma pequena taxa.

“Com o pequeno lucro que temos obtido, também introduzimos o frango congelado, para diversificar a oferta. O nosso maior desafio é conquistar mais clientes”.

Fazira Nassoro tinha o sonho de abrir uma padaria

Residente de Palma de 23 anos, formado no 4º ciclo do Programa Jovem do Catalisa

Residente de Palma de 23 anos, formado no 4º ciclo do Programa Jovem do Catalisa

Fazira Nassoro é participante do 4° ciclo do concurso de plano de negócio do Programa Jovem do Catalisa. O concurso segue uma nova abordagem, onde os jovens criam ideias e recebem uma pequena bolsa e assistência técnica para testar a viabilidade da ideia, enquanto participam do concurso.

“Sempre sonhei em abrir a minha própria padaria”, diz Fazira, “mas não tinha recursos para isso. Graças à minha participação do concurso de planos de negócios, recebi uma pequena quantia para testar a minha ideia de negócio e cá estou! A produzir e vender pão!”

Semanalmente, Fazira, como todos os demais concorrentes da 4ª edição do concurso de planos de negócios, participa de sessões e workshops com a equipa do Programa Aftercare.

Durante essas sessões, eles desenvolvem os seus planos de negócio com base no “modelo CANVAS” que promove a combinação da teoria com a prática. Uma das vantagens desse modelo é que os participantes, mesmo que não ganhem nenhum prémio no fim do concurso, têm a oportunidade de buscar conselhos sobre desafios e obstáculos, e assim manter os seus negócios a funcionar bem após abertura dos mesmos.

Fazira produz e vende em média 200 pães por dia e vende-os a 10 meticais cada, no seu ponto de venda instalado na sua casa em Palma, incluindo as entregas ao domicílio. Fazir tem um rendimento médio diário de 2.000 meticais, resultante das suas vendas, mas ainda espera ganhar mais.

“Com as aulas de marketing, criactividade e inovação, já estou a introduzir algumas pequenas mudanças para garantir a satisfação dos meus clientes, como a higiene e a boa conservação do pão e também a introdução da venda de pastéis (“badjia”) no meu ponto de venda,” concluiu Fazira.