Skip to content

Vânia Coutinho segue o seu sonho da engenharia

Vânia Coutinho

Vânia Coutinho é uma das jovens moçambicanas empenhadas em contribuir para a prosperidade do seu país. Mas Vânia não pára só na vontade; pelo contrário, ela investiu muito do seu esforço na aquisição de habilidades técnicas e académicas que a permitiram entrar no mundo extremamente exigente da indústria de petróleo e gás. 

Nascida em Maputo há 26 anos, Vânia faz agora parte de uma equipa de engenheiros do IWOCS. Sem medo do desafio. Porque Vânia é uma vencedora.

Nem sempre a engenharia esteve no seu horizonte. Quando rapariga, ela sonhava com a arquitectura tanto quanto se imaginava estilista. Acabou por ingressar para uma das universidades de maior prestígio do país, a Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo, onde licenciou-se em Engenharia Informática, entrando para a família TechnipFMC em 2019. E ela não se arrepende. Pelo contrário.

Vânia Coutinho & TechnipFMC team

Vânia Coutinho na Equipa da TechnipFMC

Hoje, Vânia é uma das quatro estudantes de um grupo de 12 engenheiros que participaram de um programa de formação de um ano no Brasil e na Noruega como parte do programa TechnipFMC para formação de jovens engenheiros moçambicanos em habilidades técnicas para construir capacidade moçambicana com vista ao cumprimento dos elevados requisitos técnicos da indústria de petróleo e gás.

“Desde que entrei para a TechnipFMC, aprendi o quão grande é a indústria de óleo e gás. Aprendi como familiarizar-me com o âmbito do trabalho, o envolvimento na equipa, o equipamento necessário para processar certas operações e um dos elementos mais importantes - compreender e seguir os documentos de procedimento para executá-los. Aprendi também quão bom e por vezes complicado pode ser trabalhar em equipa e como criar ideias para resolver um problema que pode afectar a nossa produção e/ou como fazer o nosso cliente feliz”, disse Vânia, que agora está a participar de um programa de formação intensivo no Brasil.

Matériais de Conteúdo local

Matéria sobre o Trabalho do Projecto em Moçambique

Vânia Coutinho

Vânia Coutinho está a ser bem-suceda num ambiente de constantes mudanças

A formação apoiará a aquisição de conhecimento na instalação offshore de árvores submarinas, manifolds, módulos de controlo e confirmará habilidades através da exposição ao ambiente offshore. E como guerreira que é, Vânia não se intimida pelo facto de ser uma jovem em um ambiente dominado por homens.

“Não é um grande desafio ou difícil até agora. Desde a época da faculdade existiram mais rapazes do que raparigas, e o que interessou foi a Inteligência Colectiva e a partilha de conhecimento”, disse.

“Sempre que posso contribuir e partilhar os meus pensamentos, ideias ou mesmo soluções, eu falo. E se eu tiver dúvidas, peço ajuda e não tenho medo de falar. E, até agora, não enfrentei nenhum tipo de situação constrangedora, embora, como jovens, todos gostemos de brincadeiras e piadas”, acrescentou Vânia, que ama música gospel, fast food, palavras cruzadas e cinema. E a sua experiência na TechnipFMC também.

Vânia Coutinho

Vânia Coutinho esta entusiasmada com a sua experiência na TechnipFMC

A TechnipFMC, que foi adjudicada vários contratos submarinos pelo Projecto Mozambique GNL liderado pela Total para o seu desenvolvimento Golfinho / Atum offshore em Moçambique, actualmente emprega moçambicanos em uma variedade de posições, incluindo Recursos Humanos, Saúde e Meio Ambiente, Finanças / Controlo de Custos, Jurídico, Aquisições, e Engenharia.

Um IWOCS - Sistema de Controlo de Instalação e Workover é um sistema de controlo temporário usado para activar, solucionar problemas ou desactivar poços submarinos. 

Equipamentos especializados, como carretéis umbilicais, unidades de energia hidráulica (HPUs) e guinchos são usados para permitir o controlo hidráulico e eléctrico de árvores submarinas e equipamento relacionado.